Valente Reis Pessali Advocacia e Consultoria

5 ações para promover a igualdade racial nas empresas

O combate ao racismo e a busca pela igualdade racial permanecem como pautas essenciais e urgentes no Brasil e no mundo. No campo do trabalho, é possível perceber a lacuna de representatividade negra no mercado e a diferença na distribuição de rendimentos entre brancos e pretos ou pardos. Inconformados com essa realidade, apresentamos aqui uma lista contendo ações para promover a igualdade racial nas empresas, contribuindo ativamente para a redução dessa injustiça. 

Pesquisa realizada pela McKinsey Company demonstrou que as empresas situadas dentre as 25% mais diversas, dentre as pesquisadas, em termos de gênero e etnicidade racial, têm 12% a mais de chances de superar todos os outros concorrentes do mercado analisado.

Assim, diante dos vários benefícios da diversidade, as empresas estão se movimentando para alterar suas culturas organizacionais em projetos como “Iniciativa Empresarial pela Igualdade Racial”. 

Este é um movimento formado por empresas e instituições comprometidas com a promoção da inclusão racial e a superação do racismo que representa mais de R$1,3 trilhão em faturamento, mais de 800 mil pessoas e alcance global. E demonstra que o mercado corporativo está cada vez mais atento à igualdade racial. 

No post de hoje, conheça alguns dos dados sobre desigualdade racial no mercado de trabalho e cinco ações para promover a igualdade racial nas empresas. 

Dados sobre desigualdade racial no mercado de trabalho

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelou recentemente a lacuna de representatividade negra no mercado de trabalho e a diferença na distribuição de rendimentos entre brancos e pretos ou pardos. 

  • Em 2018, pretos e pardos representavam 64,2% da população desocupada e 66,1% dos profissionais subutilizados no país.  
  • Enquanto o rendimento médio dos ocupados brancos atingiu R$17,0 por hora, o dos pretos ou pardos foi de R$10,1 por hora.
  • Em relação à distribuição de renda, os pretos ou pardos representavam 75,2% do grupo formado pelos 10% da população com os menores rendimentos e apenas 27,7% dos 10% da população com os maiores rendimentos.
Dados sobre a proporção de negros e negras na população brasileira e na estrutura hierárquica das empresas no Brasil
Dados sobre a proporção de negros e negras na população brasileira e na estrutura hierárquica das empresas no Brasil

Além disso, de acordo com o Instituto Ethos, dentre as 500 maiores empresas do Brasil:

  • As pessoas negras, que são 52,9% da população do país, estão em sua maioria na condição de aprendizes e trainees, com proporção de 57,5% e 58,2%. Entretanto, esses números caem 35,7% do quadro funcional, 25,9% na supervisão, 6,3% na gerência, 4,7% no quadro executivo e 4,9% nos conselhos de administração.
  • Apenas 35,9% estimulam e apoia grupos de trabalho que elaboram medidas de combate à discriminação na empresa e no local de trabalho.
Rendimentos da população por cor/raça
Rendimentos da população por cor/raça

Como já abordamos anteriormente no nosso artigo sobre igualdade de gênero no trabalho: fica evidente a ocorrência de um afunilamento hierárquico que vai excluindo mulheres e pessoas negras na medida em que aumentam as atribuições de comando. 

As mulheres negras são, portanto, as mais prejudicadas e é preciso ter em mente que as ações de inclusão devem considerar estas intersecções de opressões. 

Diante destes dados, o que é possível fazer para promover a inclusão e igualdade racial nas empresas?

Cinco ações urgentes para promover a igualdade racial nas empresas

Apontamos cinco ações necessárias para promover a igualdade racial nas empresas: 

1. Realizar um diagnóstico da empresa 

Só é possível alterar uma situação conhecida, certo? Então é essencial realizar, inicialmente, um diagnóstico da situação atual da empresa, com o mapeamento dos indicadores raciais e desafios enfrentados no dia-a-dia. 

Assim é possível entender, por exemplo: a) Quantas pessoas negras e brancas existem na empresa? b) Quais os cargos que elas ocupam, em quais setores? c) Existem diferenças salariais? Quais?, entre outros dados. 

Neste momento, também será possível traçar as perspectivas para o futuro da empresa, a partir de indicadores e compromissos de igualdade. 

2. Atenção aos processos seletivos

Para promover igualdade de oportunidades e tratamento justo a todas as pessoas, é preciso refletir sobre a organização dos processos seletivos na empresa. 

Capacitar os recrutadores para entender o viés inconsciente do racismo estrutural impede que sejam perpetuadas lógicas de contratação prioritária de pessoas brancas. 

Além disso, uma medida possível é a aplicação de políticas afirmativas, como reserva de vagas para pessoas negras. Trata-se de uma medida compensatória e justa frente a séculos de violência, exclusão e exploração. 

3. Realizar capacitações 

Não basta promover ações afirmativas de contratação: tenha em mente também a  retenção e desenvolvimento de pessoas negras na empresa.

A empresa precisa ativamente desenvolver as habilidades que precisa em seus funcionários. Assim, o incentivo a realização de cursos e capacitações deve receber especial atenção, com treinamento específico para supressão de eventuais lacunas em skills.

A empresa também é responsável por garantir desenvolvimento profissional, e este é essencial para se alcançar a igualdade racial no acesso a oportunidades de trabalho e renda.

4. Pensar em todo o processo de produção: do planejamento ao marketing

No planejamento de produtos e serviços da empresa deve ser considerada a diversidade racial. Um exemplo é a criação de produtos de maquiagem que incluam todas as tonalidades de pele possíveis.

Além disso, é essencial ter em mente o respeito a todas as pessoas durante o atendimento aos clientes e na comunicação da imagem da marca. 

O marketing tem se ampliado para comunicar a partir de imagens que não foquem apenas em pessoas em um padrão único: homens e mulheres brancos/as, cishéterossexuais. 

5. Promover o letramento racial

Não é suficiente promover ações pontuais, como o Dia da Consciência Negra: é preciso mudar, aos poucos, a cultura organizacional. 

Para isso, é possível elaborar materiais escritos (como cartilhas ou e-books), campanhas internas e capacitações de todos os colaboradores sobre a importância de combater a desigualdade racial.

Existem muitas formas de sensibilizar e educar para o respeito e a promoção da diversidade racial e estas devem ser construídas de forma personalizada dentro de cada empresa, considerando suas particularidades. 

Agora que você já sabe bastante sobre o que pode e deve ser feito para garantir a igualdade racial nas empresas, saiba também que a Valente Reis Pessali tem uma equipe de profissionais prontos para assessorar a sua empresa nessa missão. 

Conheça o nosso trabalho! Vem com a gente?

Este artigo foi escrito pela advogada Isabella Bettoni.

Equipe VRP

Os artigos produzidos por advogados e advogadas especialistas em diversas áreas do direito que colaboraram com a produção dos conteúdos do Blog da VRP Advocacia e Consultoria.